quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Plenário do TSE aprova Calendário Eleitoral das Eleições de 2016



O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, na sessão administrativa desta terça-feira (10), o Calendário Eleitoral das Eleições Municipais de 2016. A eleição ocorrerá no dia 2 de outubro, em primeiro turno, e no dia 30 de outubro, nos casos de segundo turno. O calendário contém as datas do processo eleitoral a serem respeitadas por partidos políticos, candidatos, eleitores e pela própria Justiça Eleitoral. Os eleitores vão eleger em 2016 os prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos municípios brasileiros.

Ao apresentar relatório e voto sobre a resolução do calendário, o ministro Gilmar Mendes informou que, em 19 de março de 2015, oficiou a todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) para que enviassem ideias e sugestões a serem apreciadas na oportunidade da elaboração das instruções sobre as regras das eleições do ano que vem. 

O ministro acrescentou que a minuta de resolução encaminhada aos gabinetes dos demais ministros considerou as sugestões das Cortes Regionais e dos grupos de trabalho e unidades técnicas do TSE. Ele agradeceu a valorosa contribuição do ministro Henrique Neves que, juntamente com as áreas técnicas, assessorias do Tribunal e equipe do gabinete do relator, “realizou em exíguo prazo estudos visando ao aperfeiçoamento do texto da minuta de resolução do calendário eleitoral”. O ministro salientou, ainda, a participação dos TREs com as suas propostas.

Gilmar Mendes ressaltou que, diferente de outras eleições, em que a minuta do calendário eleitoral foi aprovada no primeiro semestre do ano que antecede o pleito, esta foi submetida à apreciação do Plenário apenas agora em razão da perspectiva de reforma política pelo Congresso Nacional, que culminou com a sanção da Lei nº 13.165, de 29 de setembro de 2015.

“A expectativa de alteração de várias datas relevantes do processo eleitoral foi confirmada, como se sabe. O texto ora proposto contempla as alterações promovidas pela referida Lei na legislação eleitoral, a qual reduziu substancialmente o tempo de duração do processo eleitoral ao modificar o período das convenções partidárias, a data limite para o registro dos candidatos, o período para a realização das propagandas eleitorais, dentre outros marcos”, acrescentou o relator.

O presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, disse que, realmente, a reforma eleitoral promovida neste ano “alterou de maneira significativa e profunda o calendário das eleições, inclusive com a redução do tempo de campanha”.

Dentre as principais mudanças no Calendário, estão:

Filiação partidária - Quem quiser concorrer no próximo ano, deve se filiar a um partido político até o dia 2 de abril de 2016, ou seja, seis meses antes da data das eleições. Pela regra anterior, para disputar uma eleição, o cidadão precisava estar filiado a um partido político um ano antes do pleito.

Convenções partidárias - As convenções para a escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações devem ocorrer de 20 de julho a 5 de agosto de 2016. O prazo antigo estipulava que as convenções partidárias deveriam acontecer de 10 a 30 de junho do ano da eleição.

Registro de candidatos - Os pedidos de registro de candidatos devem ser apresentados pelos partidos políticos e coligações ao respectivo cartório eleitoral até as 19h do dia 15 de agosto de 2016. Pela regra passada, esse prazo terminava às 19h do dia 5 de julho.

Propaganda eleitoral - A resolução do calendário das eleições de 2016 incorpora, ainda, outras alterações produzidas pela reforma eleitoral, como a redução da campanha eleitoral de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto. O período de propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, tendo início em 26 de agosto, em primeiro turno.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Livro escrito por Pajés Huni Kuin de Jordão é finalista do Prêmio Jabuti deste ano

O livro descreve tratamentos e curas tradicionais utilizados pelo povo Huni Kuin do rio Jordão, onde estão catalogadas 109 plantas e suas diferentes formas de utilização. A catalogação das plantas seguiu a sistematização do conhecimento segundo os próprios pajés Huni Kuin, de acordo com a sua nomenclatura tradicional e divisões por famílias e grupos. Escrito em parceria com o Jardim Botânico do Rio de janeiro, o livro traz também a nomenclatura científica das plantas.
unnamed (4)
A autoria do livro é dos pajés Huni Kuin do rio Jordão que durante anos, sistematizaram as informações tradicionais que posteriormente foram reunidas no livro. Os organizadores são o pajé Agostinho Iká Muru, do Jordão e Alexandre Quinet, taxonomista do Jardim Botânico, editado pela Dantes Editora.
Considerado uma iniciativa pioneira de diálogo entre os saberes tradicionais e científico, a indicação do livro como finalista do Prêmio Jabuti foi recebida com entusiasmo por pela editora Anna Dantes, da Dantes Editora.
“O livro não tem fins lucrativos, trata-se muito mais de um exercício de coletividade”, explica ao site Juruá Online.
Os dez por cento referentes aos direitos autorais do livro são repartidos com os indígenas que de alguma maneira, trabalharam no processo de edição.
Fonte “Hatxa Kuin”
Uma das particularidades do livro é a profusão de detalhes em “kenê” – desenhos geométricos tradicionais que configuram uma forma de linguagem cultural muito presente na cultura e na arte huni kuin.
Anna Dantes explica que a editora criou uma fonte própria para a edição do livro, baseada na forma com que os próprios pajés e professores huni kuin escrevem em seus cadernos de anotações. A fonte foi batizada de fonte Hatxa Kuin palavra que designa a língua Huni Kuin.
Planta Mestra
Um dos pontos altos do livro Una Isi Kayawá, é que não se trata de um simples catálogo de plantas medicinais, e sim, da apresentação de um sistema de tratamento próprio, onde estão presentes, as tradicionais infusões de plantas medicinais, mas também o uso na forma de colírio, as defumações, os sopros, o rapé e os cantos que fazem parte desta medicina.
Um dos fundamentos básicos do sistema de medicina tradicional nativa é que uma planta não se resume a ideia reducionista de um princípio ativo que possa ser isolado e patenteado conforme a vontade e o desejo da ciência.
A concepção indígena trabalha com a possibilidade de uma planta inclusive ser uma “professora”, ou seja, ela própria, indicar ao pajé, qual o melhor caminho de cura para determinado paciente.
“Não é apenas um princípio ativo, mas sim, um poder, uma inteligência, que opera junto com o planeta para a obtenção da cura”, nos conta Anna.
“O maior resultado do livro não é o financeiro, mas sim o entendimento de que existe outra forma de cura que envolve a espiritualidade, e o reconhecimento de uma matriz de pensamento indígena que tem a generosidade de compartilhar este conhecimento com todos nós”, conclui. O resultado do Prêmio Jabuti será conhecido no dia 19 de novembro.
FONTE: ac24horas

O PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL - PCdoB JORDÃO REALIZARA SUA CONFERENCIA MUNICIPAL NO PRÓXIMO DIA 21

         EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA CONFERENCIA MUNICIPAL             
     O Comitê Municipal do PCdoB de Jordão - Acre, considerando a reunião do Comitê Estadual do Partido ocorrida em outubro de 2015, que deliberou acerca das Convenções Municipais do processo eleitoral de 2015. 
Considerando ainda, a Reunião Plenária deste Comitê Municipal realizada em 2015 do corrente ano, CONVOCA, por este presente Edital Público, todos os filiados do Partido comunista do Brasil – PC do B, do Município de Jordão a participarem da CONFERENCIA MUNICIPAL, e terá a seguinte Ordem do Dia:

1) ELEIÇÃO PARA PRESIDENTE DO COMITER MUNICIPAL;
2) CONJUNTURA COM OS PARTIDOS ALIADOS;
3) ATUAÇÃO DO PARTIDO NO CAMPO INSTITUCIONAL ESTADUAL E MUNICIPAL.


DATA: 21 DE NOVEMBRO DE 2015
LOCAL: CENTRO DE FLORESTANIA
HORÁRIO INICIAL: 07:00 HORAS DA NOITE





Roberto Rodrigues de Olinda
Presidente do PC do B
  







Jordão - Acre, 02 de novembro de 2015.





sábado, 31 de outubro de 2015

Eletrobras disponibiliza parcelamento simplificado de débitos

A Eletrobras Distribuição Acre disponibiliza, a partir desse domingo, 01, a possibilidade de formalização de parcelamento de débitos via cal center, por meio do número 0800 647 7196. A medida visa dar maior comodidade aos consumidores que desejam negociar débitos.
O serviço é somente para pessoa física que, ao entrar em contato com o atendente, deve confirmar os dados cadastrais como: nome completo, CPF, data de nascimento, nome da mãe, endereço eletrônico e número do telefone.
Os parcelamentos podem ser no valor mínimo de R$ 200,00 (duzentos reais) até o máximo de R$ 3.000,00 (três mil reais). Os consumidores devem efetuar entrada de 30% do valor total do débito, com divisão do restante em até 05 (cinco) parcelas.
Com este serviço a Distribuidora pretende simplificar a negociação de débitos, oferecendo a oportunidade dos consumidores regularizarem suas contas sem a necessidade de sair de casa. 
“A Eletrobras Distribuição Acre busca facilitar cada vez mais o relacionamento com o consumidor, por isso oferece esse e outros serviços, como a emissão de segunda via da fatura na Agência Eletrônica e o envio de faturas por e-mail”, destaca o assistente da diretoria Comercial, Danilo Klein.

Gasolina, energia e gás de cozinha deverão sofrer novo reajuste até dezembro

As famílias devem se preparar para apertar ainda mais o orçamento. Tarifas administradas pelo governo Dilma devem ter mais um aumento até dezembro: gasolina, gás de cozinha e energia elétrica.
O jornal “Correio Braziliense”, em sua edição desta sexta-feira (30), informa que os preços controlados pelo Executivo vão subir 16,9%, ante uma previsão de alta de 15,2%, em setembro.
A elevação das expectativas da autoridade tem como base a estimativa de que em 2015 a gasolina encarecerá 15%, o gás de botijão 19,9% e a energia elétrica 51,7%.
Para 2016, calcula-se uma variação de 5,8%. As projeções fazem parte da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).
Reajustes – A disparada das tarifas administradas neste ano ocorreu porque o governo DilmaRousseff, durante todo o primeiro mandato, represou os reajustes para segurar a inflação, que já dava sinais de descontrole. A leniência no combate a carestia era vista pelo Executivo como uma forma de impulsionar o Produto Interno Bruto (PIB). Mas o que ocorreu foi exatamente o contrário. 
Ano a ano, a geração de riquezas no país desabou, os gastos públicos aumentaram e a dívida do país chegou ao nível de países em crise, próxima de 70% do PIB.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Deputado denuncia retirada de máquinas e comprometimento das obras da BR-364

Máquinas estariam sendo retiradas por causa do fim de recursos financeiros

Deputado Jesus Sérgio
Deputado Jesus Sérgio
Em seu discurso na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) nesta terça- feira (27), o deputado estadual Jesus Sérgio (PDT) tornou pública sua preocupação com a retirada das máquinas que realizam os trabalhos de recuperação e reconstrução dos trechos críticos da BR-364.
Jesus Sérgio relatou que neste fim de semana, ao visitar sua cidade natal, Tarauacá, percebeu a presença de carretas que, segundo trabalhadores, estariam autorizadas a retirar as máquinas em virtude do fim de recursos financeiros.
Preocupado com a possibilidade da interrupção das obras, o deputado informou que estará se reunindo com o diretor do DNIT no Acre para pedir esclarecimentos. De antemão, ele lamentou o fato e afirmou que o trabalho já realizado será dado como perdido, caso não seja concluído.
“Não podemos deixar parar essas obras, isso seria algo inconcebível. A população daquela região não pode ficar prejudicada sem a BR. Muita coisa já foi feita, mas o trabalho precisa avançar. Tenho a certeza que o DNIT estará aberto, pois sempre esteve ouvindo nossos reclames e procurou resolver os problemas, ali apresentado”, destacou. (Assessoria)

Jenilson Leite participa da 14ª edição do festival Yawanawa

O deputado estadual  Jenilson Leite (PCdoB) participou na Aldeia Nova Esperança, dos povos indígenas Yawanawá, no Rio Gregório, Tarauacá, da 14ª edição do Festival Yawa – o maior evento  indígena da Amazônia brasileira, que reúne tradição, cultura e espiritualidade.20151028094810
Além do deputado, estiveram presentes na festividade o  governador Sebastião Viana, as  secretárias de Estado de Turismo, Rachel Moreira, e de Comunicação, Andréa Zílio, e o prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno.
O evento iniciou no domingo, 25, e se estende até o dia 31 deste mês. Cerca  de 300 visitantes de outras aldeias, do Brasil e diversos países do mundo já estiveram presentes no evento durante estes três dias. Na 14ª edição  do Festival Yawa as mulheres Yawanawá são as homenageadas.
20151028094758
O festival Yawá serviu de modelo para que outras etnias indígenas realizem festivais no Estado.
No festival é apresentado os produtos artesanais produzidos pela comunidade, as danças típicas, feitos usos de chá, rapé e leite do campum.
Os trabalhos de espiritualidade também são executados pelo pajé trazendo curas e bênçãos aos visitantes e moradores da aldeia.
O cacique da Aldeia Biraci Brasil Yawamawá explica o porquê da homenagem as mulheres nesta edição. “Elas merecem essa dedicação, pela força, bravura, coragem, firmeza e dedicação com a qual conduzem o lar, a criação dos filhos e o preparo dos alimentos”.
20151028094756
O filho do cacique,  Biraci Júnior Yawanawa, fala do objetivo do festival. “O objetivo do festival é reunir a família para comemorar a nossa luta, a nossa resistência, e isso faz parte da nossa cultura. Estamos mostrando aqui que ainda existe um povo na floresta que luta pela sua tradição e pelo que há de melhor na sua essência. A resistência da nossa cultura é secular.”
“O festival Yawa é uma das mais belas festas dos povos indígenas no Brasil. Há um rito de espiritualidade do qual recebemos muita energia e conhecimento da floresta. São conhecimentos que levamos para nossa organização social também na cidade,1, comentou o deputado estadual Jenilson Leite.
FONTE: ac24horas


IMAGEM: IRMÃS UNIDAS FINAL DE TARDE NA CAPITAL


terça-feira, 14 de julho de 2015

JORDÃO: Retomada dos Trabalhos da Avenida Francisco Dias


Ofício da Secretaria de Educação do Acre irrita professores durante manifestação em Rio Branco

Cópias de um ofício contendo contrapropostas da Secretaria de Educação do Estado, que foram distribuídas na manhã desta segunda-feira, 13, durante assembléia dos professores em frente ao quartel da PM, irritaram ainda mais a categoria.
O ofício assinado pelo secretário de Educação, Marco Brandão Lopes, distribuído via comando de greve, sugere a criação de um grupo de trabalho para analisar o pedido dos professores e um estudo, a partir de setembro, para “definir possibilidades de demandas da categoria”.
“Esse ofício é uma enrolação. É uma proposta requentada de 2013. Esse grupo de estudo nunca foi efetivado. Na verdade é um golpe que o governo tá dando porque ele não garante nada a nós. O governo nos enrola a até setembro. E ele fala que o motivo de eles nos enrolarem até setembro é a previsão orçamentária, mas a previsão orçamentária vai ser votada esses dias. Ou seja, está caracterizado um golpe na categoria e um desrespeito aos trabalhadores da Educação”, disse o professor Lucas Prando.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Taxa, horários, segurança: veja o que muda nas regras do Enem 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O MEC anunciou nesta quinta as novas regras para o Enem 2015.
Inscrições abrem em 25 de maio; provas serão em 24 e 25 de outubro.

 

 
 
 
 
 
 
 
 A edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já tem as datas definidas, mas, neste ano, o Ministério da Educação anunciou diversas mudanças em relação aos anos anteriores. A principal alteração é o aumento da taxa de inscrição, que desde 2004 era de R$ 35, e neste ano vai subir para R$ 63.
 
Nesta edição, o horário do início das provas foi alterado, mas o horário de provas dos sabatistas no sábado continua o mesmo. Candidatos transexuais também poderão ser tratados pelo nome social de sua escolha durante as provas, assim como ocorreu no ano passado.
Mas os estudantes deverão prestar atenção em outros detalhes inéditos no exame do MEC. Veja abaixo as principais mudanças:
 
Enem 2015 - Taxa de inscrição (Foto: G1)
COMO ERA: A taxa custava R$ 35 e só era cobrada de estudantes que estavam cursando ou tinham cursado o ensino médio na rede particular. Todos os alunos e ex-alunos de escola pública estavam isentos.
 
COMO FICOU: A taxa foi reajustada após 11 anos e subiu para R$ 63. Além disso, só estarão isentos os estudantes da escola pública que estejam matriculados no terceiro ano do ensino médio em 2015, e candidatos que comprovem os requisitos socioeconômicos definidos no edital.
MOTIVO: Há anos o governo federal estuda maneiras de reduzir a taxa de abstenção e os custos do exame. "Quando você deixa muito tempo fixo [o valor da taxa], o reajuste causa um choque, enquanto o reajuste deveria vir com naturalidade", explicou o ministo. Segundo ele, a ideia é que a taxa do Enem seja reajustada "a cada dois ou três anos" a partir de agora.

Em 2013, a taxa de ausência chegou a 29% do total de inscritos, ou mais de 2 milhões de pessoas. No Enem 2014, 65% dos alunos faltosos não pagaram para se inscrever. "Houve a ideia de cancelar a isenção, optamos pela maneira mais leve", disse ele, afirmando que estudantes isentos de pagar a taxa precisam respeitar o fato de que o custo da prova está sendo bancada com "recursos que a sociedade está pagando". Segundo Janine, "há uma responsabilidade moral que é preciso assumir. E no escopo educacional, a ética é fundamental. Educação é também ter responsabilidade com os próprios atos".
 
Enem 2015 - Horário das provas (Foto: G1)
COMO ERA: Os portões dos locais de prova sempre fechavam às 13h do horário de Brasília; as provas do primeiro dia aconteciam entre 13h e 17h30; as do segundo dia eram aplicadas entre 13h e 18h30. Os sabatistas no Acre, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Roraima poderão fazer as provas do sábado às 19h do horário local. Nos demais estados, a prova do primeiro dia para os sabatistas começa às 19h do horário de Brasília.
 
COMO FICOU: Os portões continuarão sendo fechados às 13h do horário de Brasília, e quem ficar de fora não poderá participar da prova. Porém, a partir de 2015 as provas começaram 30 minutos após o fechamento dos portões. No primeiro dia, o horário das provas será entre 13h30 e 18h. No segundo, será entre 13h30 e 19h.
 
MOTIVO: Segundo o ministro Janine Ribeiro, há duas razões para mudar esse horário: segurança e concentração dos candidatos. "Vamos supor que uma pessoa chega em cima da hora, essa pessoa vai ter que passar pelo corredor, eventualmente passar pelo detector de metal, ir ao banheiro... Isso tudo conturba a prova. Tem que ter tudo em ordem. Ter alguém abrindo pacote de provas na hora em que as pessoas estão entrando, isso não é bom pra nada. Não é bom para a segurança e não é bom para a concentração dos candidatos."
 
Enem 2015 - Segurança (Foto: G1)
COMO ERA: No Enem 2014, todos os malotes com as provas tinham lacres eletrônicos que eram abertos às 13h pelo coordenador da sala.
 
COMO FICOU: No Enem 2015, os malotes ainda terão lacre eletrônico, mas serão abertos após as 13h e até 13h30, depois que todos os estudantes já estejam sentados, pelos coordenadores, na presença de uma terceira pessoa, para reduzir as possibilidades de vazamento das provas.
 
MOTIVO: "O malote será aberto com uma novidade. Mais uma pessoa estará presente na abertura do malote", explicou o presidente do Inep, Francisco Soares. Ele diz que a ideia é aumentar a segurança em relação a possíveis vazamentos do caderno de provas. "Estamos garantindo que o malote seja aberto de maneira uniforme. Antes das 13h não terá malote aberto. Temos um grande sistema que nos protege. No instante em que abrimos, temos 850 mil pessoas. Elas não chegam por acaso, chegam por processo de verificação e segurança. É melhor termos um sistema que diga se algum malote foi aberto antes", disse ele.

No ano passado, uma foto da página do caderno de provas que continha a proposta de redação do Enem
vazou momentos antes do início do segundo dia do exame. A Polícia Federal confirmou o vazamento, denunciado inicialmente por um estudante do Piauí.
 
Enem 2015 - Inscrições (Foto: G1)
COMO ERA: As inscrições eram feitas exclusivamente pela internet e os estudantes precisavam informar detalhes como o CPF e o endereço residencial, além de dados pessoais, escolares e socioeconômicos. Também era possível usar o mesmo e-mail para a inscrição de mais de uma pessoa.
 
COMO FICOU: As inscrições continuam sendo feitas apenas pela web, mas, a partir deste ano, além dos dados já pedidos, os candidatos precisaram informar um telefone (fixo ou celular) válido, e um endereço de e-mail só poderá ser usado para efetuar uma inscrição. Ele também deverá criar uma pergunta e resposta de segurança para recuperar a senha.
 
MOTIVO: Segundo o ministro Janine Ribeiro, as novas instruções no sistema de inscrições servem para aumentar a segurança dos estudantes e do próprio sistema informatizado. Janine lembrou que diversos sites já pedem, no cadastro dos usuários, uma pergunta de segurança, com uma resposta que deve ser do conhecimento apenas do próprio usuário, para que seja mais fácil a recuperação da senha para efetuar o login.
 
Enem 2015 - Cartão com o local de provas (Foto: G1)
COMO ERA: Poucas semanas antes das provas, o governo começava o processo de entrega dos cartões e confirmação do local de prova a cada um dos candidatos. Até 2014, era possível acessar o cartão no site do Enem, ou esperar até que os Correios entregassem o cartão impresso no endereço indicado no formulário de inscrições.
 
COMO FICOU: Em 2015, o MEC decidiu acabar com a entrega do cartão de confirmação na versão impressa. Neste ano, os candidatos só poderão checar seu local de provas acessando o site oficial do Enem, e fazendo o login no sistema.
 
MOTIVO: A principal razão desta mudança, segundo o ministro, é a economia de gastos com a impressão de envelopes e dos cartões. "São quase R$ 18 milhões nessa operação", explicou ele. Segundo o presidente do Inep, Francisco Soares, a mudança não deverá ter grande impacto nos hábitos dos candidatos. "O número de pessoas que baixavam o cartão já era um número muito alto. A gente não está mudando muito a rotina. Frequentemente as pessoas utilizavam as duas, esperava chegar em casa e depois baixa."
FONTE: g1

terça-feira, 12 de maio de 2015

JORDÃO: Governo garante reforma do aeródromo e abastecimento de água do município

Encontro o governador e o prefeito de Jordão firmou novos convênios para o município (Foto: Sérgio Vale/Secom)
O governador Tião Viana recebeu nesta segunda-feira, 11, em seu gabinete, o prefeito de Jordão, Elson Farias, acompanhado do deputado estadual Jenilson Leite, além de gestores do governo, para firmar uma parceria institucional de melhorias para o município. Os novos convênios firmados garantem, principalmente, a manutenção da pista do aeródromo de Jordão, além de uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA), que garantirá cobertura em toda a cidade.

Ficou comprometido que o governo do Estado disponibilizará os insumos para a manutenção da pista, enquanto a prefeitura ficará responsável por realizar a obra. Todo o material deve chegar na semana que vem. Já a ETA móvel deverá entrar em operação no fim de maio e será capaz de atender toda a demanda da área urbana do município.

Essa parceria com o governo é extremamente importante para nós. Sem ela, não seríamos capazes de resolver essas questões em Jordão”, conta o prefeito Elson Farias. Já o deputado estadual Jenilson Leite relata: “É de parabenizar que o governador esteja tendo essa iniciativa de ajudar a população do Jordão”.
 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Sexta-feira é feriado no Estado do Acre devido ao Dia do Evangélico

      Na próxima sexta-feira (23) é feriado no Acre em comemoração ao Dia do Evangélico. O Dia do Evangélico foi criado em 2004, através de um projeto de lei do deputado Helder Paiva (PEN), aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) e sancionado pelo então governador Jorge Viana.
 
De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) de 2010, Rio Branco é a capital com mais evangélicos no país. Com 39% da população sendo evangélica, o Acre possui 239.589 mil protestantes em todo o estado.

O dado faz parte de uma tendência religiosa que ocorre no Brasil, onde há duas décadas o número de católicos vem caindo e o de evangélicos crescendo, sendo a religião escolhida por 22% dos brasileiros.

FONTE: ac24horas

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Capital do Acre é a 7ª capital mais cara do Brasil, diz Ong

A capital do Acre está entre as dez mais caras do Brasil, segundo ranking organizado pela Ong Custo de Vida, que agrega informações sobre os preços praticados em produtos e serviços nas cidades brasileiras.

No ranking que envolve todos os municípios – e não só as capitais – Rio Branco vai ao 19º lugar, posição bem menos desconfortável que o das sedes da Federação.

O primeiro lugar, considerada a capital mais cara é de São Paulo e em último fica por João Pessoa, a cidade mais barata do Brasil.

Há várias desculpas para alto custo de Rio Branco. O principal é a logística. Transportar mercadorias dos centros produtores é um processo complexo e caro. Outra desculpa vem sendo largamente utilizada nos bares do Novo Mercado Velho. É que ali “é um ponto turístico” e, por isso, uma garrafa de cerveja de 600 ml custa R$ 9,00.

Os serviços, apesar de não necessitarem de logística específica, também encarecem a vida em Rio Branco.

Os aluguéis não são baratos, tampouco a tabela de diaristas. Nos condomínios, os aluguéis mínimos estão na faixa dos R$ 750.

FONTE: ac24horas

Medicina é o curso com maior nota de corte na Ufac em 2015

            
                  Na Universidade Federal do Acre (Ufac), o curso mais disputado, por enquanto, é o de Medicina, com 6.166 inscritos e 740,94 como nota mínima para ingresso pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), segundo divulgou o Ministério da Educação (MEC).

As notas de corte mostram o mínimo necessário para que o candidato tenha acesso a cada curso. Além de Medicina, encabeçam a lista de graduações com maiores notas de corte: Direito (684,92); Engenharia Civil (682,03); Medicina Veterinária (621,21) e Sistemas de Informação (606,93).

 As notas são para a modalidade de ampla concorrência e servem como um termômetro para os estudantes que podem mudar a inscrição quantas vezes quiserem até o prazo final. Neste momento, a dica é monitorar o sistema para conferir a nota de corte para o curso e a instituição desejada.

O sistema vai considerar como válida a última inscrição efetuada pelo candidato.
O Sisu é um sistema informatizado, através do qual instituições públicas de ensino superior selecionam candidatos com base na nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Este ano, 128 universidades participam do processo, ofertando mais de 205 mil vagas em todo o país. Na Ufac, estão disponíveis 1.670 vagas,

distribuídas em 35 cursos. Para consultar a nota de corte, o candidato deve ir à seção “Pesquisar Vagas” no site do Sisu e clicar na opção desejada. Até às 17h de hoje a Ufac contabilizava a inscrição de 25.725 candidatos.

As inscrições no Sisu começaram ontem, 19, e vão até esta quinta-feira, 22, no site sisu.mec.gov.br. A próxima atualização das notas de corte será às 2h desta quarta-feira, 21, horário de Brasília.

FONTE: ac24horas

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

JORDÃO: Prefeito Elson Farias vai a Rio Branco e garante reparos para a pista do Aeroporto Municipal Santos Dumont

Prefeito Elson com a governadora Nazaré
O prefeito Elson Farias retorna hoje ao município de Jordão, após viagem à capital acriana, onde esteve no gabinete do governador, na Casa Rosada. A pauta do encontro foi a recuperação da pista de pouso do Aeroporto Municipal Santos Dumont.

A governadora em exercício, Nazaré Araújo, sinalizou positivamente para a solicitação do prefeito e se comprometeu a autorizar os reparos o mais breve possível. O governo municipal estará elaborando nos próximos dias, o orçamento constando necessidades e gastos para os reparos na pista.

A ação tem caráter de precaução. Quem sai beneficiado é a população, uma vez que terá maior segurança quando for utilizar a pista para pousos e decolagens.
“O objetivo é garantir ainda mais segurança àquelas pessoas que usam o transporte aéreo. Jordão é um município de difícil acesso e por isso devemos priorizar ao máximo a qualidade de nossa pista, já que torna-se a única alternativa para viagens emergenciais”, destacou o prefeito.

Ainda em Rio Branco o prefeito se reuniu com a Conselheira Naluh Gouveia, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE-AC), com o objetivo de aproximar a prefeitura do órgão. A pauta do encontro foi a busca de medidas para adequação à Lei de Responsabilidades Fiscal, que visa preservar a situação fiscal dos entes federativos, de acordo com seus balanços anuais, com o objetivo de garantir a saúde financeira do município.
 
FONTE: blog do accyoli

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Rio Branco é a capital que mais trata esgoto na região Norte

               

Só a ETE São Francisco é capaz de tratar 120 litros de esgotamento por segundo, atendendo mais de 65 mil pessoas (Foto: Sérgio Vale /Secom)
Só a ETE São Francisco é capaz de tratar 120 litros de esgotamento por segundo, atendendo mais de 65 mil pessoas (Foto: Sérgio Vale /Secom)

O Departamento de Pavimentação, Água e Esgoto (Depasa), divulgou nesta terça-feira, 13, que a cidade de Rio Branco tem hoje o melhor índice de saneamento básico da região Norte entre capitais, com aproximadamente 50% de esgoto doméstico tratado e 70% de oferta de tratamento. Os dados são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento.

A informação foi dada durante coletiva de imprensa, que contou com a participação da governadora em exercício Nazaré Araújo, do diretor-presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães e do prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do São Francisco.

Com quatro estações de tratamento de esgoto convencionais e aproximadamente 50 estações compactas existentes só em Rio Branco, o governo do Estado quer chegar em 2018 com 90% dos efluentes domésticos produzidos na capital tratados. “A gente vê um sistema com uma capacidade operacional maior do que funciona hoje. Há um compromisso do governo em saber que cada um real investido em saneamento, você evita 4 reais no sistema de saúde”, conta Nazaré Araújo.

A maior Estação de Tratamento de Esgoto do Acre, a ETE São Francisco, foi inaugurada em 2009, com capacidade de tratar até 120 litros de esgoto por segundo. Sua operação garante tratamento de parte dos resíduos líquidos despejados no Igarapé do Canal da Maternidade, que corta aproximadamente 20 bairros, onde vivem cerca de 65 mil pessoas. Magalhães, explica que: “Essa estação tem cinco anos, mas ainda é esta a tecnologia de ponta no tratamento de esgoto, agora precisamos alcançar a cidade inteira e levar esse trabalho em menor escala para os municípios”.
Para se ter uma ideia, os resíduos líquidos quando chegam na ETE possuem uma DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) na ordem de  94 mg/l.

Depois do tratamento esse número chega a menos de 2,5 mg/l, uma redução de 94%. O número é bem acima do recomendado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que exige um mínimo de 60% de redução de DBO. Até mesmo peixes podem ser encontrados nos tanques da última etapa do tratamento.

O prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, também se orgulha dos resultados. “A gente tem que parabenizar o governo do Estado porque o índice de eficiente da ETE São Francisco passa dos 90%, um dos maiores do país”, disse o prefeito.

Fonte: http://www.agencia.ac.gov.br/noticias/acre/rio-branco-e-a-capital-que-mais-trata-esgoto-na-regiao-norte

Perpétua Almeida lança revista com prestação de contas do mandato de 12 anos em Brasília

      Perpétua Almeida
 
A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) lança nesta quinta-feira (15), em Rio Branco, a Revista “Deputada federal pelo Acre 2003-2015. Bandeiras, batalhas e conquistas”. O evento será uma prestação de contas dos três mandatos como deputada federal na defesa das causas do Acre e dos acreanos.

“Esta revista foi a maneira que encontrei de prestar contas dos três mandatos de deputada federal que o povo me confiou. Foram 12 anos de lutas, trabalho e parceria nos quais procurei elevar e honrar o nome do Acre. Tratei os nossos mandatos em Brasília com toda a seriedade, coerência e transparência. Só Deus sabe o quanto me esforcei”, diz a parlamentar, que deixa a Câmara dos Deputados este ano, após concorrer as eleições para o Senado.

E anuncia que “a minha luta ao lado do povo não acaba aqui. Porque você sabe que onde houver uma demanda justa, uma busca pelo coletivo, estaremos lá, juntos pelo povo, pelo Acre e pelo Brasil. Mas por enquanto, eu preciso dar um tempo, descansar, dar mais atenção aos meus filhos e ao meu marido”.
Perpétua é a única parlamentar acreana, nas últimas legislaturas, que conseguiu aprovar dois projetos do povo da floresta na Câmara dos Deputados. Segundo a parlamentar, “é gratificante olhar para trás e ver que deixamos um caminho pavimentado por ações que podem servir de inspiração para os que nos sucedem”, citando as muitas lutas enfrentadas na Câmara, como a vitória na luta pelas espingardas para o homem da floresta durante a votação do Estatuto do Desarmamento. E ficou conhecida no meio rural como “Mulher das Espingardas.

“Outras conquistas vieram, como o abono de R$ 25 mil para os Soldados da Borracha (pagamento incluído no Orçamento de 2015), a luta por moradias para o produtor rural no programa Minha Casa, Minha Vida, a batalha para conseguir equipamentos agrícolas, o fim das multas ambientais para pequenos produtores, o incentivo aos esportes, a guerra contra a pedofilia, o esforço pela recuperação de dependentes químicos, ações de proteção às famílias acreanas”, cita Perpétua Almeida.

Caminho pavimentado
Em 2012, Perpétua foi a única mulher eleita para assumir a presidência de uma Comissão na Câmara dos Deputados. Em 76 anos, foi a terceira mulher a presidir a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional. Anteriormente a ela, ocuparam o cargo as deputadas Zulaiê Cobra (PSDB-SP) e Márcia Kubitischek (PMDB-DF), filha de Juscelino Kubitisheck. Durante sua gestão, recebeu embaixadores, delegações estrangeiras e ministros de outros países. Realizou dois seminários, que reuniu mais de 1200 pessoas entre deputados, militares, especialistas na área e estudantes.

Durante sua gestão na Comissão, realizou também 15 audiências públicas para tratar de temas relacionados ao Acre, como proteção das fronteiras, estudantes na Bolívia, e ao Brasil, reconstrução da Estação na Antártica, discussão sobre o posicionamento da diplomacia brasileira diante de fatos sociais e político-econômicos internacionais, os projetos estratégicos das Forças Armadas e o Estatuto do Estrangeiro. Perpétua Almeida promoveu, ainda, debates sobre assuntos relacionados a relação do Brasil com outros países e os acordos internacionais.

Na avaliação da deputada, “além do trabalho, o que vale a pena é ter encontrado gente que acredita na possibilidade de fazer política limpa, séria e tem coragem para lutar por um mundo melhor.”

Serviço:
Lançamento da revista “Perpétua – Deputada Federal pelo Acre 2003-2015. Bandeiras, batalhas e conquistas”.
Dia: 15/1 (Quinta-feira)
Horário: 18 horas
Local: Casarão – Rio Branco (AC)


FONTE: ac24horas

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Moisés Diniz tem a missão de erradicar o analfabetismo no Acre. " 70 mil acreanos não sabem ler".



O deputado estadual Moisés Diniz ( PCdoB), nomeado pelo governador Tião Viana ( PT), para ser secretário adjunto da secretaria de Educação, também ganhou do governador uma enorme missão: extirpar o analfabetismo do Estado. A exemplo do que fez o ex-governador Nabor Júnior ( 1986) nomeando a então professora e ex-deputada federal, Adelaide Neri, para o DESU ( departamento estadual de ensino do supletivo) ligado a secretaria de Educação e Cultura, na época ( atual Secretaria de Educação e Esporte). O supletivo é o que hoje conhecemos por EJA ( Educação de Jovens e Adultos). Adelaide tinha a missão de capicitar professores para alfabetizar centenas de acreanos. Até a década de 90 metade da população do Estado eram analfabetos e a maioria dos docentes tinham apenas o ginásio ( ensino fundamental- a maioria incompletos). 

Na atualidade a maioria dos professores possuem cursos superiores, outros, estão se formando em pedagogia pela UFAC via Parfor ( programa de formação de professores do governo federal em parcerias com os municípios). Mas ainda temos setenta mil habitantes analfabetos no Acre. Moises Diniz que se despede da Aleac, no dia 02 de fevereiro de 2015, após 16 anos na qualidade de deputado estadual, terá que encontrar essas pessoas " que vivem nas escuridões das letras" e convencê-los a estudarem. 

O trabalho será árduo. Consiste em pecorrer Rios, Riachos, visitar mais de 200 aldeias indígenas , os mais distantes residentes dos estreitos igarapés. No entanto, merece o apoio de cada um acreano que conhece e tem consciência da importância de aprendermos a ler e escrever. 


O Acre já foi destaque nacional com o programa educional Asas da Floresta, no governo de Binho Marques ( PT), de 2007 a 2010. E espero que venha ser novamente com a erradicação do analfabetismo.

E por que Tião Viana escolheu Diniz para esta missão? Leia o perfil logo abaixo e compreenderá.

Moises Diniz Lima é formado em pedagogia pela UFAC, professor da rede pública estadual, foi seminarista e irmão marista, vereador e vice-prefeito de Tarauacá, deputado estadual por 16 anos, escritor e membro da Acadêmia Acrena de Letras. Também é presidente estadual do PCdoB. Na eleição de 2014 concorreu a Câmara Federal ficando na primeira suplência da coligação da FPA. 

Além de encarar, esse novo desafio de erradicar o analfabetismo no Acre, estar cursando doutorado na área de educação. 

Moisés foi escolhido não apenas pelo perfil político, mas por ser a Educação sua principal bandeira de luta.
 
FONTE: Tarauacá Agora 

 

TARAUACÁ: DIRETOR DO DEPASA VISITA MUNICÍPIO E GARANTE RESOLVER O MAIS BREVE POSSÍVEL O PROBLEMA DE ÁGUA NO BAIRRO DE COPACABANA

Novo Diretor do Depasa Edvaldo Magalhães
Para resolver qualquer situação é essencial o diálogo, para isso, o gestor precisa estar perto do povo, assim como tem feito o governador Tião Viana.

Seguindo essa premissa, neste fim de semana, o diretor-presidente do Depasa, Edvaldo Magalhães, já foi checar a situação na rua Avelino Leal, em Tarauacá, que sofre um desmoronamento.

Depois da conversa com moradores a equipe já iniciou a tomada de decisões para a solução. Ele afirma também que em breve a água do bairro da Copacabana será 100% resolvido.
FONTE: blog do Accioly

MOISÉS DINIZ ESCREVE: "O QUINTO MANDAMENTO"



Nesses meus desassombrados cinquenta anos, já assisti dezenas de ataques terroristas, letais, dolorosos, inexplicáveis, humanamente doentes, pavorosos. Da mesma forma como já assisti dezenas de ataques militares que destroçaram cidades, mesquitas, escolas, hospitais, mataram mulheres grávidas, idosos e crianças, letais, dolorosos, inexplicáveis, humanamente doentes, pavorosos.

E a cada ataque militar, a cada lamento de crianças dilaceradas ou de seus pais, com angústia de fazer chorar, eu lia artigos luxuosos de intelectuais doentes, tentando explicar o ataque, encontrar um jeitinho sem-vergonha de legitimar a morte que se espalhava sob os estilhaços dos fuzis dos marines criminosos ou de drones mortais.

Havia um pântano intelectual aonde esses lobos das letras devoravam suas ovelhas africanas, palestinas ou islâmicas. Eles se assumiam como intelectuais conservadores, outros, de direita, opostos a um mundo que trouxesse algum sobrenome que falasse de islamismo, de terceiro mundo, de nacionalismo, de socialismo ou de movimentos de guerrilha (uma espécie de guerra permitida aos mais fracos) ou de qualquer resistência dos povos oprimidos, colonizados, escravizados, famintos e doentes.

Quem lia aqueles artigos doentes, apodrecidos, dementes, se exasperava, mas, sabia que era ‘normal’ aqueles textos de esgoto, pois vinham de gente que conseguia encontrar argumentos até para o holocausto nazista ou para as ditaduras militares e suas carnificinas. Arrancar Saddam Hussein de um buraco, como um rato, e depois enforcá-lo, no YouTube, provocou glamour nas altas rodas sociais, até naqueles que, no seu país, são contra a pena de morte.

Agora, nós estamos mais incomodados, mais desconfiados, mais tristes. É que os artigos que eu estou lendo pertencem a intelectuais que, até outro dia, viam na vida humana o bem maior do universo. E a sua argumentação era forte porque suas letras nasciam do ventre da esperança humana e de suas dores profundas. Eram intelectuais de esquerda, protegiam nossa gente perdida e seviciada pelos quatro cantos do planeta, com sua escrita poderosa, iluminada e humanista.

E por que estão a escrever sobre o assassinato de jornalistas do Charlie Hebdo de um jeito novo, perverso, como faziam seus adversários intelectuais, construindo argumentos para explicar o crime? O que angustia é que são muitos e muito respeitáveis. Apresentarei, aqui, apenas os mais perspicazes.

O ex-padre Leonardo Boff escreve o artigo ‘Je ne suis pas Charlie: Eu não sou Charlie’ (https://leonardoboff.wordpress.com/2015/01/10/eu-nao-sou-charlie-je-ne-suis-pas-charlie/), em indisfarçável contraposição ao movimento ‘Je Suis Charlie: Eu sou Charlie’.

Leia e constate, a base do artigo é encontrar uma explicação para o que aconteceu. A sua profunda teologia, apesar de amorosa, sem querer, visita os cemitérios e leva o leitor comum a duvidar de que a vida humana é suprema em qualquer situação. Talvez, porque o nobre escriba tenha vivido muito tempo explicando a morte de Abel, o afogamento de quase toda a raça humana no dilúvio ou as terríveis pestes egípcias, que incluíram até a morte de uma criança inocente, o filho do faraó, apesar de padres e pastores atuais sempre entenderem de outro jeito.

O artigo do ilustre Leonardo Boff ficou meio que com cheiro de incenso. Na verdade, amigo doutor da lei, me desculpe a comparação. Mas, ficou meio esquisito, como aquela tese vilã, de que a mulher que usa minissaia está pedindo para ser estuprada. Eu fico pensando como o senhor vai abordar, a partir desse artigo, a questão do aborto, porque há mulheres que matam seus fetos e usam argumentos assemelhados. No prisma da ofensa, o que é mais grave? Uma charge que ofende Muhammad ou um estupro? Os dois podem legitimar a morte?

Os artigos brotam como lagartas velhas vestidas de anjos novos. José Antônio Lima, escrevendo o editorial da prestigiada revista Carta Capital (http://www.cartacapital.com.br/internacional/charlie-hebdo-a-culpa-da-arabia-saudita-3209.html), vai logo proclamando: ‘Charlie Hebdo: a culpa (é) da Arábia Saudita’, introduzindo o petróleo e a geopolítica nas causas dos assassinatos, talvez, o assunto que já tenha mais produzido teses de doutorado no planeta.

E eu, um pobre leitor do norte do Brasil, pensava que esses intelectuais soubessem que o petróleo já produziu mais mortes do que dois milhões de dilúvios (levando-se em conta a população do tempo de Noé), cevou ditadores com base no soldo dos países ricos e importadores de óleo cru (como EUA e Europa) e depois os descartou e os exterminou como ratos, enforcando Saddam Hussein e executando Muammar Gaddafi e alimentou o ódio que produz os terroristas de todo tipo e suas vestes de dinamite.

Só não acreditava que esses intelectuais, com a sua história e o seu conteúdo, escreveriam tantas teses para explicar os assassinatos, ao tempo hábil de depositar suas laudas nos caixões ainda abertos dos jornalistas do Charlie Hebdo. Que compreenderiam que qualquer intelectual, qualquer homo erectus deveria condenar com veemência (sem mas ou todavia) esse ataque terrorista e, com mais rigor, olhar para o alvo central dos disparos letais: a liberdade de expressão, mesmo que seja do tipo mais hostil.

A fila é longa, conceituada e ilustre, mas, eu vou encerrar com aquele que construiu o mais engenhoso dos argumentos, talvez, o que traz mais novidade sobre o atentado, que ele chama de meta-terrorismo: Wilson Roberto Vieira Ferreira, que escreveu, no Portal Fórum: ‘O atentado ao Charlie Hebdo foi um filme mal produzido? (http://www.revistaforum.com.br/cinegnose/2015/01/09/o-atentado-ao-charlie-hebdo-foi-um-filme-mal-produzido/).

A base do artigo é a conspiração, altamente padronizada e eficiente, aonde o poder dos grandes capitalistas ocidentais e de seus governos organizam o atentado, com o fim último, a grosso modo, de ressuscitar o desgastado François Hollande, oxigenar eleitoralmente a extrema-direita de Marine Le-Pen e até abrir as portas, como ocorreu com o 11 de setembro em relação ao Iraque e ao Afeganistão, para que os EUA possam bombardear e controlar militarmente o Iêmen, aonde se situa o estreito de Bab el-Mandeb, um dos sete pontos que os norte-americanos consideram gargalos para o transporte de petróleo.

Sobrou até para a imprensa brasileira que, segundo esse engenhoso argumento, estaria utilizando o atentado ao Charlie Hebdo para desconstruir a tentativa de regulação da mídia. Eu fico pensando (Deus me livre desses meus pensamentos), se esse intelectual estivesse, naquela hora fatídica do atentado, escrevendo o seu artigo na sede do Charlie Hebdo.

Como se vê, o problema não está na argumentação, porque, se quiséssemos, publicaríamos mais uma centena de artigos e argumentos não faltariam, essencialmente, para a morte do humanismo que nos alimentou nesses anos. E ele não foi ingênuo, foi radical, porque era a alma gêmea de nossas letras revolucionárias, a fonte da juventude de nossas utopias, a espiritualidade que protegia nossos versos indóceis e até, muitas vezes, próximos da letalidade.

Agora, com a tentativa de explicar a morte, de transformar em gelo o sangue dos jornalistas franceses (ásperos, irreverentes, teimosos), nós vamos ter dificuldade de ser diferente, de continuar entendendo a engrenagem da morte imperialista, mas, capazes de nunca abraçar, nem com as letras, a irracionalidade dessa gente infame do EI, do Exército islâmico e de seus iguais.

O que esses intelectuais disseram quando tentaram assassinar o Papa João Paulo II? E, se um maldito atentado terrorista atingisse a casa de descanso de Fidel Castro ou o palácio indígena de Evo Morales? Qual seria o argumento se, lamentável e perversamente, um atentado terrorista atingisse um de seus familiares? Apelação argumentativa? Acho que não, apenas uma indelével nódoa boa, que grudou em mim, do tempo em que defender a vida era a marca do nosso humanismo.

Contra o terror não tem conversa, não tem tese de doutorado e nem poesia. Venha de onde vier, tenha a causa que tiver, deve ser combatido com a energia inconfundível das liberdades civis e da força do Estado de direito, seja de esquerda, seja de direita, e levantar as multidões.
 
FONTE: blog do Accioly
Por Moisés Diniz
Membro da Academia Acreana de Letras
Autor do livro O Santo de Deus.